Uma das mudanças incontestáveis que a geração Y, ou geração do milênio (millenials), trouxe para nossa sociedade é a relação do indivíduo com a cama.
Até pouco tempo atrás, era um lugar de repouso. No entanto, no século XXI, tem se tornado um dos móveis mais versáteis da casa, transformando-se num centro de atividades cotidianas. 
É cada vez mais comum o lazer estar dentro da própria casa, onde os indivíduos “maratonam” séries, gastam tempo de bate-papo virtual, além de efetuarem muito de suas compras on-line. Somado a isso, o home-working tem se tornado cada vez mais comum, e muitas pessoas nem saem de suas camas para começar a trabalhar.
Na 16ª Bienal de Arquitetura de Veneza (2018), uma instalação do pavilhão holandês abriu espaço, justamente, para o debate sobre esse novo estilo de vida em torno da cama, em uma sociedade dominada pelas redes sociais. Uma das conclusões dos debates é que discutir o que as pessoas pensam e fazem na cama, hoje, é algo tão sério que pode afetar, até mesmo, o modo como serão desenhadas as cidades do futuro.
Seguindo essa tendência, o designer Geoffrey Pascale, da Academia de Eindhoven, propôs uma coleção de móveis para escritórios baseados na ideia de que as pessoas trabalham cada vez mais nas suas camas. O nome da coleção – Grafeiphobia – refere-se ao medo ou aversão de escrivaninhas e mesas de escritório. Por isso, os produtos sugerem diversas posições pouco ortodoxas para trabalhar e foram desenvolvidos com base em pesquisas da Nasa sobre a posição neutra do corpo (aquela em que o corpo sofre menos, quando está em situação de gravidade zero).
É indiscutível que na geração atual, a cama é muito mais que um espaço para dormir. Esse móvel tem sido um local para home office, assistir a series, agendar encontros, jogar longas sessões de games, com o celular numa mão e a comida pedida em dois cliques. Consequentemente, tudo o que envolve tornar esse espaço mais atrativo e confortável tem ganhado força. Colchões tecnológicos, com opções diversas de relaxamento, estão cada vez mais em alta. Vale tudo para tornar mais confortável o espaço mais “queridinho” da casa.

 

Referências:

BED TRIP: A CAMA MULTIUSO DOS MILLENNIALS. Disponível em: http://observatoriodesinais.com.br/odesblog/bed-trip-a-cama-multiuso-dos-millennials/ Acesso em: 31/05/19.